Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at /home2/comoewpt/automovelerequinte.com.br/wp-content/plugins/anti-adblock-adbreach/adbreach.php:466) in /home2/comoewpt/automovelerequinte.com.br/wp-includes/feed-rss2.php on line 8
Automóvel e Requinte http://automovelerequinte.com.br Tudo Sobre Carros Thu, 07 Sep 2017 21:31:26 +0000 pt-BR hourly 1 https://wordpress.org/?v=4.8.2 135325715 Toyota Etios Cross 2014 http://automovelerequinte.com.br/index.php/2014/02/02/toyota-etios-cross-2014/ Sun, 02 Feb 2014 13:29:43 +0000 http://automovelerequinte.com.br/blog/?p=1143 A Toyota lançou a versão aventureira do Etios hatch. O carro chegou para brigar com CrossFox e Hyundai HB20X. A versão aventureira é baseada na versão XLS e é equipada com motor 1.5 16V flex com 96 cv e 13,9 kgfm de torque (ambos com álcool) e câmbio mecânico de cinco marchas.
O carro ganhou nova dianteira, com um novo para-choques com um quebra-mato integrado, que invade a grade dianteira e novos faróis de milha. Nas laterais o carro ganhou novas molduras mais aventureiras, alargadores nos para-lamas e luzes repetidoras dos piscas nos retrovisores. Na traseira ganhou novo para-choques e um aerofólio. O carro ganhou apliques na cor prata nos para-choques dianteiro e traseiro, nas molduras laterais e no rack do teto, que tem capacidade para até 50 quilos. Para completar o visual, rodas de liga leve 16″ com acabamento grafit.
Por dentro o carro traz as mudanças das demais versões (exceto a versão de entrada), com acabamento do painel de instrumentos na cor preta e nova iluminação do quadro de instrumentos. Vem bem equipado de série e traz revestimento dos bancos exclusivo, sistema de som com entrada USB, trio elétrico, ar-condicionado, entre outros equipamentos.
Apesar do estilo aventureiro o carro não traz quaisquer alterações mecânicas, ou seja, suspensão, freios, rodas e até os pneus são semelhantes são da versão XLS. A altura em relação ao solo não foi alterada para não prejudicar a dirigibilidade do veículo.

O Toyota Etios Cross está a venda desde novembro, com preço único de R$45.690, uma versão única e sem opcionais. A Toyota espera vender 300 unidades do Etios Cross mensalmente.

]]>
1143
Clássico Nacional: Chevrolet Corsa http://automovelerequinte.com.br/index.php/2014/02/02/classico-nacional-chevrolet-corsa/ Sun, 02 Feb 2014 13:08:49 +0000 http://automovelerequinte.com.br/blog/?p=1069

Lançado na Europa em 1982, o Corsa nasceu da necessidade de criar um carro pequeno, já que o modelo de entrada da Opel nos anos 80 era o Kadett. O Corsa tinha uma receita que a sua concorrência na época já adotava, com o Volkswagen Polo e Ford Fiesta, os três tinham motor transversal e tração dianteira.

No Brasil o Corsa começou a ser produzido no fim de 1993 como modelo 1994, para substituir o Chevette, que saiu de linha em 1994. O Corsa foi lançado na versão Wind, com motor 1.0 E.F.I. com 60 cv, para substituir o antiquado Chevette Junior 1.0, alimentado por carborador.

Em 1994 surgiu a versão GL 1.4 E.F.I. com cavalos e a opção de cinco portas. A versão GL tinha uma grande lista de opcionais, tais como ar condicionado, direção hidráulica, vidros dianteiros e travas elétricas, rádio-toca-fitas, entre outros.

Em 1995 surgiu a versão Wind Super, com mais opcionais que a versão Wind. A Chevrolet lançou a versão esportiva GSi, com motor 1.6 16V SFI com 109 cv. Surgiu tambem a versão sedan (como modelo 1996), nas versões GL e GLS, ambas com motor 1.6 M.P.F.I. com 92 cavalos. A versão sedã preencheria a lacuna deixada pelo Chevette sedã.

Em 1996 surgiu a versão pick-up, com motor 1.6 EFI,  para peencher a lacuna deixada pela saída de linha da Chevy 500, derivada do Chevette, que saiu de linha em 1995. Neste mesmo ano a versão hatch GL passou a ter motor 1.6 M.P.F.I. com 92 cavalos. O Corsa sedan passa a ter duas opções de motores, 1.6 M.P.F.I. com 92 cv para a versão de entrada GL e 1.6 16V com 106 cv para a versão top de linha GLS. O Corsa Wind passa a ter motor 1.0 M.P.F.I. com 60 cv. Surge a versão Super no lugar da versão Wind Super, com motor 1.0 M.P.F.I. com os opcionais da versão GL e acabamento diferenciado, além da opção cinco portas. A versão GSi é descontinuada.

Em 1997 surge a perua derivada do Corsa, chamada de Corsa Wagon, nas versões GL 1.6 e GLS 1.6 16V, para oculpar o lugar da Marajó. A versão GL 1.6 M.P.FI. ganha a opção de cambio automático de quatro marchas. A versão picape passa a ter motor 1.6 M.P.F.I. com 92 cv.

Em 1999 surgem as versões Super 1.0 16V e as versões sedã Super 1.0 M.P.F.I. e 1.0 16V. A versão Wagon passa a ter também a versão Super 1.0 16V.

Em 2000 a Chevrolet deu um facelift no Corsa, que recebeu nova grade dianteira e novas lanternas traseiras. A GM lança o Celta, já com planos de substituir as versões de entrada do Corsa Hatch. A GM lança a série especial Millenium do Corsa sedã 1.0. A versão Wagon sai de linha.

Em 2002 a GM reestiliza totalmente o Corsa, que passa a ser vendido em apenas duas versões: 1.0 e 1.8, com uma extensa lista de opcionais. A versão 1.0 tinha a opção de câmbio semi-automático (Autoclutch), que despensava o uso do pedal de embreagem. A nova geração passa a pertencer a uma categoria superior a antiga, que diputava mercado com o Volkswagen Polo e mais tarde com o Citroen C3, deixando o Celta como modelo de entrada da marca. A GM manteve a versão sedã da primeira geração do Corsa brasileiro, que passou a se chamar Corsa Classic, com motores 1.0 e 1.6.

Em 2003 o Corsa ganha a motorização Flexpower na versão 1.8, mas como opcional, pouco tempo depois da Volkswagen lançar o Gol 1.6 Totalflex, primeiro carro nacional bicombustível.

Em 2005 o corsa 1.0 ganha a versão Flexpower.

Em 2006 todas as versões do Corsa passaram a sair de fábrica com o motor Flexpower. A Chevrolet lança a Versão SS (Super Sport) do Corsa, Meriva e Astra. O Corsa SS tinha motor 1.8 Flexpower com até 109 cv e kit esportivo que inclui rodas exclusivas, faixa Super Sport na traseira e SS nas laterais. Os Corsa SS era vendido nas cores Vermelho e Preto.

Em 2008 a Chevrolet lança o novo motor 1.4 Econoflex, com 99 cv de potência com gasolina e 105 cv de potência com álcool. A versão Econoflex 1.4 aposentou o 1.8 Flexpower.

Em 2009 a versão 1.0 Flexpower sai de linha, restando apenas a versão 1.4 Econoflex do corsa.

Em 2012 a General Motors decide descontinuar o corsa, já que toda a linha estava sendo renovada nos moldes da matriz americana, ficando a família Agile no seu lugar. Além do Corsa, Astra, Vectra, Meriva e Zafira foram descontinuados, pondo fim a era Opel no Brasil. A primeira geração do corsa sedã está presente até hoje, apenas com passou por um facelift em 2011.

Cronologia

Chevette Hatch/Sedã/Marajó/Chevy
Corsa Hatch/Sedã/Wagon/Pivk-Up/Meriva
Agile/Cobalt/Spin/Montana

]]>
1069
Dodge lança versão aventureira do Journey http://automovelerequinte.com.br/index.php/2014/02/01/dodge-lanca-versao-aventureira-do-journey/ Sat, 01 Feb 2014 23:07:19 +0000 http://automovelerequinte.com.br/blog/?p=1099 A Chrysler lançará oficialmente no Salão de Chicago, a versão Crossroad do Journey, com aparência aventureira e mais esportiva que a versão convencional. O Journey Crossroad traz rodas de liga leve aro 19 pintadas de preto, seções inferiores dos para-choques também em preto, faróis com máscara negra, grade frontal preta, ao invéz da cromada e preta da versão tradicional e rack de teto exclusivo. No interior também o preto é reforçado. O painel tem uma tela de 8,4 polegadas.

Os motores são o 2.4 16V a gasolina com 172 cv (mesmo que equipa o Freemot) com uma caixa automática de quatro marchas e o V6 3.6 Pentastar de 285 cv (mesmo do Journey vendido no Brasil), acompanhado da transmissão automática de sete velocidades. Ainda não há previsão de quando esta versão do Journey chega ao Brasil.

 

[print_gllr id=1101]

]]>
1099
Subaru SVX a venda http://automovelerequinte.com.br/index.php/2014/02/01/subaru-svx-a-venda/ Sat, 01 Feb 2014 15:21:09 +0000 http://automovelerequinte.com.br/blog/?p=1094

Um raríssimo esportivo japonês, o Subaru SVX, importado para o Brasil nos anos 90 está a venda no site Webmotors. A originalidade do carro impressiona. O exemplar raro no Brasil está a venda por R$31.400. No site Mercado Livre também é possível encontrar três unidades do esportivo a venda, com preços entre R$29.990 e R$54.000.

O Subaru SVX chegou ao Brasil em 1992, importado dos EUA, logo após a abertura das importações e ficou presente no mercado nacional até 1995, pouco mais de um ano depois que parou de ser importado para o Brasil, o carro saiu de linha no Japão. O carro foi desenhado pelo estúdio Giorgetto Giugiaro e tem motor Boxer 6 cilindros, 24V 3.3 litros com 229 cv de potência, acoplado a transmissão automática de quatro velocidades e tração integral.

Entre os equipamentos de série, ar-condicionado, rádio toca-fitas e CD player, controle de tração, freios ABS, airbag duplo frontal, piloto automático, bancos em couro, teto solar, rodas de liga leve aro 16, entre outros.

]]>
1094
Renault Megane GT: Em breve nas concessionárias Renault http://automovelerequinte.com.br/index.php/2014/02/01/renault-megane-gt-em-breve-nas-concessionarias-renault/ Sat, 01 Feb 2014 14:04:49 +0000 http://automovelerequinte.com.br/blog/?p=1080 Quando a Renault mostrou o Fluence GT com motor 2.0 turbo de 180 cv estava apenas fazendo um teste com os consumidores brasileiros que curtem carros esportivos. Depois do Fluence, o próximo esportivo da marca francesa a desembarcar por aqui será o Mégane RS.

Lançado em 2004, o Renault Mégane RS chegou a sua segunda geração em 2008. O Renault Mégane RS deve desembarcar no Brasil em breve para aumentar a oferta de esportivos por aqui. Tem motor 2.0 16V turbo com 265 cv e 36,7 kgfm de torque, acoplado a um câmbio manual de seis marchas. Segundo a Renault, 80% do torque esta disponível a 1.900 rpm. O carro vai de 0 a 100 km/h em 6 segundos e a velocidade máxima chega aos 250 km/h.


O carro e uma mistura de hatch com cupê, tipo o Hyundai Veloster, que aliás, a traseira de ambos e bem parecida. O escapamento é central no para-choque. O kit aerodinâmico inclui um aerofólio traseiro discreto, saias e uma lâmina dianteira inspirada nos Formula 1. A suspensão é McPherson na dianteira e eixo de torção na traseira. As rodas são aro 18, com pneus 235/40 R18 na versão de entrada, mas a versão top vem com rodas aro 19.

O painel lembra o do Fluence e o computador de bordo tem telemetria com informações em tempo real. Os bancos tipo concha da marca Recaro são forrados de couro, não são tao confortáveis, pois o carro prioriza a esportividade. No banco de trás ha espaço para dois adultos, mas é bem apertado, como todo esportivo que se preze.
O Mégane RS tem controle eletrônico de estabilidade (ESP), que tem três modos de operação, On, Off e Sport. Tem também o sistema RS Monitor, que permite ao motorista ajustar o tempo de resposta do acelerador, são cinco modos de ajuste: linear (progressivo), normal, neve (para auxiliar o motorista em pisos escorregadios), esportivo e radical (máxima aceleração). O RS Monitor também serve para o motorista (ou piloto) acompanhar a pressão do óleo, pressão do turbo, os freio, o volume de torque e potencia, o cronometro (tempos total e parcial), a orientação a até a aceleração de 0 a 100 km/h. A telemetria e baseada nos Formula 1.

A nova geração do Renault Mégane esta prevista para chegar ao Brasil no segundo semestre de 2014, mas os primeiros Mégane RS devem vir com o visual mostrado nas fotos. Os preços ainda não foram definidos, mas estima-se que fiquem na casa dos R$130 mil para a versão RS Sport e R$190 mil para a versão RS Cup. O carro brigará com Honda Civic Si (201 cv), Mitsubishi Lancer Sportback (250 cv) e Subaru Impreza WRX (270 cv) e o Veloster Turbo, que chega em maio.

Fotos: Divulgação

[print_gllr id=1082]

]]>
1080
Máquina: Yamaha RD350 http://automovelerequinte.com.br/index.php/2014/02/01/maquina-yamaha-rd350/ Sat, 01 Feb 2014 13:21:29 +0000 http://automovelerequinte.com.br/blog/?p=1077 A Yamaha RD350 completou 40 anos do seu lançamento no Japão. No Brasil, a “Viuva Negra” durou duas décadas e se tornou uma das esportivas mais queridas.

Equipada com motor de dois tempos, a moto queimava gasolina e óleo e lançava uma fumaça branca pelo escapamento. Apesar da pouca cilindrada, tinha desempenho superior ao da sua principal rival, a Honda CBX 750 Indy, conhecida como “Sete Galo”. Mas este desempenho superior só aparecia em altas rotações. Em 1983 a Yamaha apresentou o sistema YPVS, que abria ou mantinha fechada uma válvula de escape, que segurava os gases, melhorando o desempenho em baixas rotações.

Lançada no Japão em 1973, a RD teve algumas unidades importadas para o Brasil, antes das restrições aos produtos importados.

Em 1986 a RD 350 passou a ser produzida em Manaus-AM. Tinha carenagem parcial e semi guidons. Um ano depois a produção virou exclusividade local e ganhou carenagem integral para ser exportada para Japão e Europa.

Com motor de dois cilindros paralelos, a versão para o mercado nacional tinha potência de 55 cv. Já a versão destinada ao mercado japonês tinha 63 cv de potência.

Em 1989 foi produzida a série limitada denominada limited edition, em comemoração ao sucesso de vendas da motocicleta no exterior, principalmente na Europa. Foram fabricadas apenas 350 exemplares, os quais foram numerados por uma plaqueta de identificação. O modelo da série limitada caracterizava-se, especialmente, pela pintura cor branco perolizado e pelos gráficos exclusivos. Os gráficos eram idênticos aos do modelo comercializado na Europa alguns anos antes (1986-1988). O propulsor da série especial tinha 63 cavalos, contra 55 do modelo convencional, em razão de algumas mudanças, principalmente maior taxa de compressão – o que exigia a utilização de combustível especial na época. Especulou-se que apenas algumas destas 350 motos da série especial foram comercializadas no mercado brasileiro, pois grande parte desta produção teria sido direcionada a pessoas de notável importância da Yamaha, como diretores, dirigentes, investidores, tanto do Brasil quanto do exterior, ou seja, poucas unidades foram efetivamente vendidas no país.

Em 1991 a “Viuva Negra” foi reestilizada e ganhou duplos farois redondos, novos garfos, freios e pneus mais largos. A essa altura a sua principal rival passou a ser a Honda CBR 450 SR.

Com a reabertura das importacoes, a RD 350 perdeu espaço no mercado nacional e em março de 1993 ela deixou de ser vendida aqui no Brasil, mas continuou sendo produzida e exportada até ser totalmente descontinuada, em 1995.

]]>
1077
Fim da inspeção veicular http://automovelerequinte.com.br/index.php/2014/02/01/fim-da-inspecao-veicular/ Sat, 01 Feb 2014 13:03:47 +0000 http://automovelerequinte.com.br/blog/?p=1074 O contrato da Prefeitura de São Paulo com a empresa Controlar teminou ontem (31), com isso, todos os veículos da cidade de São Paulo poderão realizar o licenciamento deste ano sem a necessidade de mostrar o comprovante de aprovação. Além disso, as multas emitidas referentes a inspeção deixarão de ser aplicadas a partir de  1° de fevereiro.

Quem não passou pelo teste do Controlar em 2013 terá um prazo para regularizar o carro, assim que a nova inspeção entrar em vigor e as multas emitidas até 31 de janeiro de 2014 continuarão válidas.

Confira o comunicado oficial da prefeitura de São Paulo:

 

]]>
1074
Clássico: Volkswagen Passat http://automovelerequinte.com.br/index.php/2014/02/01/maquina-volkswagen-passat/ Sat, 01 Feb 2014 01:07:55 +0000 http://automovelerequinte.com.br/blog/?p=1071 O Volkswagen Passat completou 40 anos recentemente e continua fazendo sucesso por onde passa. O carro esta na lista dos 10 mais vendidos da historia, com mais de 20 milhões de unidades produzidas. Lançado na Alemanha em 1973, o Passat foi criado baseado no Audi 80 seda do final dos anos 60, para tentar alavancar as vendas do grupo VW (quando o Passat foi lançado, a Audi já era controlada pela Volkswagen). O primeiro Passat foi desenhado por Giorgeto Giugiaro, um dos mais renomados designers de automóveis do mundo. O Passat lançado na Alemanha tinha dois faróis retangulares.

No ano seguinte o Passat ja chegou ao Brasil, nas versões L (Luxo) e LS (Luxo Super), equipadas com motor 1.5 com 65 cv de potencia. O Passat inovou no Brasil, sendo um dos primeiros carros com motor refrigerado a água, tração dianteira e estrutura monobloco. Foi o primeiro carro nacional a usar a correia dentada. Ainda em 1974, a VW apresentou a versão quatro portas. O primeiro Passat nacional tinha dois faróis redondos.

Em 1976 foi lancada a versão esportiva TS (Touring Sport), com quatro faróis redondos, faixas laterais com o logotipo TS e vários detalhes esportivos por dentro e por fora. O Carro tinha motor 1.6 com 80 cv.

Em 1978 foram lancadas mais duas versões, a LSE (Luxo Super Executivo), que foi por muito tempo o carro mais luxuoso da Volkswagen no Brasil, com motor 1.6 e a versão esportiva Surf.

VW Passat 1979

Em 1979 a Volkswagen fez a primeira reestilizacao no Passat nacional, que passou a ter dois faróois retangulares. No mesmo ano, depois da crise do petróleo, chega a versão a álcool. Em 1981 o Passat alemão e reestilizado e ganha tracos do Santana, que o substituiu aqui no Brasil.

Em 1983 o Passat nacional passa por mais uma reestilização, passando a ter quatro faróis quadrados, para-choque de plastico e cambio de cinco machas. O Passat TS passa a se chamar Passat GTS e surge a versão GLS. Entre 1983 e 1986 milhares de Passat quatro portas foram importados para o Iraque e rodam por lá até hoje.

Em 1984 o Passat todas as versões do Passat mudam de nome, a versão de entrada passa a ser Especial, a versão LS passa a se chamar Village, o GTS vira GTS Pointer, que se tornou o Passat mais querido pelos brasileiros, com motor 1.8 do Santana. A Volkswagen lança o Santana, que é a segunda geração do Passat alemão.

Em 1985 a VW melhorou o acabamento interno, o estofamento, o painel e inseriu o ar-condicionado no Passat. Em 1988 o Passat foi descontinuado no Brasil para dar espaço ao Santana, lançado em 1984.

Em 1989 e lançada a terceira geração do Passat na Alemanha, a unica que nunca foi fabricada ou importada oficialmente para o Brasil. Em 1993 chega a quarta geração, muito mais moderna. Em 1995 a Volkswagen passa a importar o Passat da Alemanha para o Brasil, nas versões seda e perua (Variant). Em 1996 o Passat passa a ser montado na plataforma do Audi A4 na sua quinta geração.

 

Em 1998 a Volkswagen apresenta o “Novo Passat” no Salão do Automóvel de São Paulo, com mecânica 100% Audi, nas opções 1.8, com motor 1.8 20V com 125 cv, 1.8T, com motor 1.8 20V turbo com 150 cv e V6, com motor V6 24V 2.8 com 193 cv.

Em 2001 o Passat ganha linhas mais arredondadas.

Em 2005 o Passat ganha a sua sexta geração e passa a ser montado sob a plataforma do Golf V. O Passat era oferecido nas opções 2.0 turbo com 200 cv e V6 aqui no Brasil.

Em 2010 a Volkswagen apresenta a nova sétima geração, com o novo design global da Volkswagen.

Em 2011 chega ao Brasil versão cupê de cinco portas, chamada Passat CC, com motor V6 3.6 TFSI de 300 cv e tração nas quatro rodas.

Em 2012 a sétima geração chega ao Brasil, em com motor a gasolina 2.0 turbo com 211 cv.
Em 2013 e lançado o CC, perdendo o nome Passat.

]]>
1071
Kia Soul deve desembarcar no Brasil em maio http://automovelerequinte.com.br/index.php/2014/01/31/kia-soul-deve-desembarcar-no-brasil-em-maio/ Fri, 31 Jan 2014 16:56:20 +0000 http://automovelerequinte.com.br/blog/?p=1048 O novo Kia Soul foi lançado no Brasil em 2009, para um seguimento meio que indefinido, já que o carro é uma mistura de hatch compacto com suv compacto. O lançamento da segunda geração do Kia Soul aconteceu nos EUA no fim de 2013, quando o Soul já começou a ser vendido por lá. No Brasil o novo Soul deve chegar em maio.

O Novo Soul passou por várias mudanças, externamente e internamente em relação ao modelo atual, mas mantendo as características exclusivas do carro.

Galeria de fotos do novo Kia Soul
[print_gllr id=1051]

]]>
1048
ford anuncia recall para o EcoSport http://automovelerequinte.com.br/index.php/2014/01/31/ford-anuncia-recall-para-o-ecosport/ Fri, 31 Jan 2014 14:06:08 +0000 http://automovelerequinte.com.br/blog/?p=1043 Depois do recall do Ford Fusion recentemente, agora é a vez da Ford chamar os proprietários do SUV compacto EcoSport ano/modelo 2014, fabricados entre os dias 13 e 15 de janeiro de 2014, para comparecerem a uma concessionária Ford para a verificação dos pneus e se necessário for, fazer a substituição dos quatro pneus.

Segundo a Ford, “pode ocorrer o surgimento de uma bolha de ar na parede lateral do pneu, decorrente do processo de montagem do conjunto roda/pneu pelo fornecedor”. “A bolha pode causar a perda de pressão e resultar em perda de dirigibilidade do veículo, com risco de acidentes graves ou fatais”. “O reparo leva em média 50 minutos, podendo haver variações conforme o fluxo de atendimentos na concessionária Ford no momento da solicitação do serviço”.

O recall envolve 264 unidades. Os chassis dos carros afetados variam de 8889564 até 8932059. Para mais informações, acesse o site oficial da Ford ou ligue para o número 0800 703 3673

]]>
1043